Loader Image

NOTÍCIAS

Curso G9 adota Geekie One para turmas do Fundamental I

O Curso G9 adotará, a partir de 2022, o Geekie One para as turmas do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental I. O material pedagógico já é utilizado, desde 2020, pelo Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Pré-vestibular. O anúncio foi feito pela direção do Curso G9 em reunião com os pais dos alunos do 1º ao 4º ano do Ensino Fundamental I (EF I) e do Jardim II que, no próximo ano, farão parte do segmento.

 

Os encontros, via plataforma Meet, foram realizados nos dias 8 e 9 de setembro. Participaram do anúncio a diretora pedagógica, professora Maria Aparecida Fernandes; o diretor de Planejamento, professor Giovanni Henrique Faria Floriano; o diretor administrativo, Hilson Háliz Perlingeiro; a coordenadora pedagógica do EF I, professora Nilcéia Julliana Ribeiro de Carvalho Pereira; a diretora editorial do Geekie One, Sandra Castro; a consultora pedagógica do Geekie One, Fernanda Galisteu; e professores do segmento, que passaram por capacitação para usar o novo material pedagógico.

 

 

MATERIAL IMPRESSO E DIGITAL

O uso da tecnologia com intencionalidade pedagógica tem um contexto peculiar para os estudantes desse segmento. De acordo com a parceria firmada para o Ensino Fundamental I, o material didático principal é impresso, mais alinhado às demandas educacionais dessa faixa etária.

 

Já a plataforma digital será utilizada em atividades complementares e de aprofundamento, sempre com a mediação dos professores, enriquecendo as opções de ensino e dando mais significado ao processo, pois amplia as possibilidades de exploração, contextualização e diferenciação.

 

“A proposta do Geekie One é oferecer um processo educativo com uso fluido e orgânico de materiais analógicos [impressos] e digitais, tal como ocorre no mundo real, explorando o melhor que cada um tem a oferecer, permitindo que, de fato, um ensino híbrido aconteça”, destaca Eduardo Bontempo, cofundador da Geekie.

 

No Geekie One, os conteúdos desse segmento estão organizados em capítulos e subdivididos em missões com possibilidades de escolhas — tanto para o professor quanto para a turma — a partir de conteúdos lúdicos e sugestões de atividades e exercícios para praticar. Toda a proposta pedagógica contida no material foi construída à luz da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), visando sempre o desenvolvimento de habilidades e competências.

 

Em busca de um processo educativo mais ativo e centrado no estudante, o Geekie One oferece também a Estação One: um conjunto de projetos desafiadores, interdisciplinares e com problemáticas atuais, que trazem oportunidades para o desenvolvimento do protagonismo dos estudantes.

 

Eduardo Bontempo ressalta que um dos grandes diferenciais da proposta do Geekie One para esses segmentos iniciais da Educação Básica é o portfólio digital que a plataforma traz para registrar as atividades das crianças.

 

“O portfólio traz um registro completo de toda a produção do estudante, permitindo que ele se expresse de formas variadas e por mídias diferentes. Isso contempla diversos estilos de aprendizagem e diferentes estágios de desenvolvimento. O portfólio do Geekie One provoca um olhar diferenciado para a avaliação ao se distanciar da noção comum de um processo fim e acentua seu papel como um desenvolvimento constante, permitindo um acompanhamento da jornada de aprendizagem do aluno que fica disponível para a escola, para o aluno e para a família”, finaliza.

 

Saiba mais neste link.

 

Leia Mais
...
20 de setembro de 2021

Curso G9 adota Geekie One para turmas do Fundamental I

Alunos apresentam prévia de pesquisa sobre trabalho infantil

Alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II (Turmas F91 e F92) do Curso G9 apresentaram uma prévia do projeto interdisciplinar que estão realizando sobre a erradicação do trabalho infantil na América Latina. A atividade, realizada em duplas, envolve as disciplinas de Arte, Espanhol, Geografia, História e Português.

 

“Cada dupla pesquisa um país latino-americano, identificando projetos e ações desenvolvidos contra o trabalho infantil. A culminância será uma simulação de um encontro da OIT (Organização Internacional do Trabalho), quando cada país irá apresentar suas realizações”, explica a professora de Geografia, Marília Gil de Souza. “O discurso de cada equipe deverá ser feito parte em português e parte em espanhol”, completa.

 

De acordo com a professora, os alunos irão ajustar as pesquisas realizadas até o momento e concluir a criação de um logotipo, que irá identificar as ações de cada país contra o trabalho infantil. A apresentação final será no terceiro trimestre.

 

A Organização das Nações Unidas (ONU), em parceria com a OIT, escolheu 2021 como o Ano Internacional de Erradicação do trabalho Infantil, problema que afeta uma em cada dez crianças no mundo. Nos últimos 20 anos, quase 100 milhões de crianças foram retiradas do trabalho infantil, reduzindo o número de 246 milhões em 2000 para 152 milhões em 2016.

 

Leia Mais
...
09 de setembro de 2021

Alunos apresentam prévia de pesquisa sobre trabalho infantil

Turmas do 5º ano têm encontro virtual com pesquisadora do LNA

As turmas do 5º ano do Ensino Fundamental I (F51 e F52), das professoras Maria de Lourdes Siqueira de Almeida e Ludmila Oliveira Silva Grassi, participaram de um bate-papo virtual com a pós-doutoranda em Astrofísica pelo LNA ( Laboratório Nacional de Astrofísica), Raquel Santiago.

 

O encontro foi agendado porque os alunos demonstraram interesse em se aprofundar no tema “Terra e Universo”, que foi trabalhado nas aulas de Ciências durante o 1º trimestre.

 

Durante a atividade, os alunos puderam conhecer um pouco mais sobre o trabalho desenvolvido pela LNA, sobre as pesquisas desenvolvidas e tirar dúvidas sobre o universo.

 

O LNA é uma das unidades de pesquisa integrantes da estrutura do Ministério da Ciência e Tecnologia. Ele foi o primeiro Laboratório Nacional implementado no Brasil, em 1985.

Leia Mais
...
30 de julho de 2021

Turmas do 5º ano têm encontro virtual com pesquisadora do LNA

Muita emoção no retorno presencial das aulas no Curso G9

A emoção e a alegria marcaram o retorno presencial das atividades escolares da Educação Infantil e das séries iniciais do Ensino Fundamental I (EF I) do Curso G9, em 7 de julho. A retomada das aulas presenciais segue rigoroso protocolo sanitário, como uso de máscaras, isolamento e uso de álcool em gel, entre outras ações.

 

“Os olhos curiosos e a ansiedade para explorar o espaço da escola eram visíveis no ingresso das crianças às dependências da escola. Com carinho e segurança, os pequenos finalmente puderam rever os amigos, brincar no parque, socializar e vivenciar experiências significativas no ambiente da escola”, explica Jéssica Antunes Dias, coordenadora pedagógica da Educação infantil.

 

Para ela, proteção e cuidado também fazem parte do processo de educar e, por isso, nesse retorno, o enfoque está sendo a readaptação ao ambiente escolar, com atividades de acolhimento, de conhecimento do espaço da escola, de apropriação das regrinhas e de sensibilização para o cumprimento do protocolo sanitário.

 

A volta às aulas das turmas do 1⁰ e 2⁰ ano do EF I começou com muita demonstração de saudade da escola e de muita vontade de estudar, de acordo com a coordenadora do segmento, Nilcéia Juliana Ribeiro de Carvalho Pereira.

 

“Num clima de tranquilidade e segurança, nossos alunos retornaram para a escola. Equipe de funcionários apostos, espaço físico planejado, professores e alunos entusiasmados para voltar à rotina escolar. Família e escola unidas para o cumprimento do protocolo sanitário”, disse. “Continuamos trabalhando constantemente na preparação dos espaços e das equipes para recebermos de maneira segura e afetiva todos os alunos do Curso G9 a partir de agosto”, completou.

 

Luciana Guedes, professora do 2⁰ano, disse que esse foi “o dia mais esperado dos últimos meses”. “Uma mistura de sentimentos! Fiquei extremamente feliz e honrada por ter feito o acolhimento dos alunos e mostrado a eles que a escola continua com o mesmo encantamento de sempre. Meu coração encheu-se de alegria por esse momento de tanto amor e cuidado. Que nossos dias possam ser de sonhos, desejos e aprendizagens. Que logo todos possamos vivenciar a mesma experiência e renovar suas energias”, destacou.

 

“A palavra que define nosso retorno às aulas presenciais não poderia ser outra: alegria, que ultrapassou os limites que a máscara impõe e transbordou nos olhos de cada criança. Responsabilidade e orgulho fazem parte desse momento tão importante para nós”, completou a professora do 1º ano, Eliana Cristina Barbosa de Almeida.

 

 

Leia Mais
...
09 de julho de 2021

Muita emoção no retorno presencial das aulas no Curso G9

Turma do 4º ano fazem bondinho em aula Lego

Uma atividade lúdica movimentou os alunos do 4º ano do Ensino Fundamental I – Turma F41, da a professora Ana Cláudia Moreira Costa. A proposta  Lego foi a construção de um bondinho com materiais de fácil acesso em casa, como: papelão, palitos, lápis, fita adesiva, elástico ,caixinha de creme dental, barbante, clipes, garrafa pet, cola, tesoura etc.

 

Seguindo as orientações da professora, os alunos construíram os bondinhos e puderam conhecer a história do teleférico mais famoso do Brasil: o Bondinho do Pão de Açúcar,  na cidade do Rio de Janeiro.

 

“O que mais me chamou a atenção foi a forma com que os alunos improvisaram  os materiais para construir o bondinho. Foram muito criativos", disse a professora Ana Cláudia.

 

De acordo com a professora, no dia apresentação, cada aluno teve a oportunidade de contar quais foram as dificuldades e/ou as facilidades durante a construção. Nesse momento, foram desafiados a usar os conceitos tecnológicos pertinentes à construção como: rodas, polias, roldanas, alavancas, vigas, manivelas, correias, engrenagens e eixos.

 

“Ao final da atividade, os alunos avaliaram a aula e concluíram que é possível ter aula Lego sem as peças oficiais”, disse. Vale destacar que já foram entregues os kits Lego para as turmas do Ensino Fundamental I.

 

Já os alunos do 5º ano do Fundamental I também aprendem a fazer programação avançada usando o LudoBot, um pequeno robô capaz de fazer coisas incríveis por meio de programações em uma plataforma chamada Scratch

 

Leia Mais
...
29 de junho de 2021

Turma do 4º ano fazem bondinho em aula Lego

Alunos do 6º ano conversam com coreógrafo sobre Brumadinho

O diretor e coreógrafo da Cia Jovem de Paraopeba, Alan Keller, foi convidado para um momento de conversa virtual com os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental – Turmas F61 e F62, em decorrência das pesquisas para a Feira do Conhecimento de 2021.

 

Seis meses depois da tragédia de Brumadinho, a Cia Jovem de Paraopeba conquistou o 1º lugar na categoria grupo sênior de Dança Contemporânea do Festival de Joinville. Com a coreografia “Efeito Cascata”, os artistas dançaram o sofrimento daqueles mineiros cujas vidas foram abaladas direta e indiretamente por aquela avalanche de lama.

 

A Feira do Conhecimento tem como tema geral “300 anos de mineiridade: os sonhos não envelhecem” e o slogan: “Sou do mundo, sou Minas Gerais”. Já o subtema de pesquisa das turmas é “O mapa de Minas, suas serras, cachoeiras e paisagens”.

 

Orientados pelos professores Alexsandro Souza, Camila Aparecida dos Santos Pereira, Lívia Carvalho Mota Bueno e Vicente Carlos Martins, os alunos têm se aprofundado em estudos sobre o mapa de Minas Gerais, suas terras, cachoeiras e paisagens, e uma das linhas de investigação está sendo as diferentes expressões artísticas que identificam o que é mineiridade.

 

“Com muita generosidade e empatia, Alan acolheu os alunos e respondeu todas as suas perguntas a respeito de inspiração para a coreografia ‘Efeito Cascata’, as dificuldades em se elaborar e ensaiar uma coreografia, estudo e dedicação para a dança”, explicou a Livia Carvalho Mota Bueno. O encontro virtual aconteceu em 16 de junho.

 

 

Leia Mais
...
25 de junho de 2021

Alunos do 6º ano conversam com coreógrafo sobre Brumadinho

Fundamental I aprende programação com o robô LudoBot

Nas aulas Lego, os alunos do Curso G9 também aprendem a fazer programação avançada usando o LudoBot, um pequeno robô capaz de fazer coisas incríveis por meio de programações em uma plataforma chamada Scratch.

 

Para auxiliar as turmas do 5º ano, da professora Ludmila Oliveira, o pai do aluno Pedro Zambrana (Turma F51), Leandro Enomoto, participou de um bate-papo virtual com os alunos. Durante o encontro, ele deu dicas de como utilizar os blocos de programação do Scratch e lançou vários desafios para os alunos: aprender na prática. O encontro aconteceu em 2 de junho.

 

O Curso G9 usa a metodologia, que inclui o material Lego, em seu planejamento pedagógico desde 2011. O projeto é uma parceria entre o Curso G9 e a Education For Life, empresa representante da Lego no país. A metodologia aplicada é a de solução de problemas: aprender fazendo, através do uso de livros específicos e de montagem e programação de robôs.

 

A parceria envolve dois programas Programa ZOOM Educação Infantil e Programa educacional Jornada Z. Saiba mais neste link.

 

Leia Mais
...
16 de junho de 2021

Fundamental I aprende programação com o robô LudoBot

Alunos da F31 trabalham adjetivos de forma leve e divertida

Momento de aprendizado e diversão no 3º ano do Ensino Fundamental I – Turma F31. A professora Helena de Fátima Muniz Motta propôs, na aula de Língua Portuguesa, a brincadeira da “caixa surpresa”. A proposta tinha como objetivo reforçar o trabalho com adjetivos.

 

As crianças confeccionaram e enfeitaram uma caixa e colocaram dentro um objeto desconhecido. No decorrer da atividade, o aluno dava pistas sobre o que havia dentro da sua caixa, e os colegas tentavam adivinhar.

 

“Foi um momento muito rico: trabalhamos o tema adjetivos de forma leve e divertida. Os alunos adoraram a atividade”, disse a professora.

Leia Mais
...
08 de junho de 2021

Alunos da F31 trabalham adjetivos de forma leve e divertida

Autora Silvana Rando conversa com alunos do Fundamental I

Pensa em um momento mágico para qual leitor. Pensou? Foi assim com as turmas do 2º ano do Ensino Fundamental I, que tiveram a oportunidade de entrevistar Silvana Rando, autora do livro “A Carta do Gildo”. O encontro, realizado pela plataforma Meet, aconteceu em 1º de junho.

 

A obra está sendo trabalhado pelas turmas neste ano. Os alunos estão encantados com história que, ao final, sugere ao leitor escrever uma carta para o personagem Gildo. Foi quando surgiu a ideia da entrevista.

 

Durante o bate-papo virtual, Silvana Rando contou como criou os personagens, a história e as ilustrações do livro, feitas por ela. Os alunos também preparam uma série de perguntas à autora: queriam saber como começou a ilustrar e a escrever livros infantis, como se inspira, que obras mais gosta na literatura nacional, entre outras.

 

Silvana Rando é autora e ilustradora premiada de livros infantis. Criou o personagem Gildo, cujo livro, publicado em 2010, ganhou o Prêmio Jabuti.

 

Leia Mais
...
04 de junho de 2021

Autora Silvana Rando conversa com alunos do Fundamental I

Alunos conquistam dez medalhas na Canguru de Matemática

Alunos do Curso G9 conquistaram dez medalhas na edição 2021 da olimpíada Canguru de Matemática Brasil, realizada em março passado. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira, 17 de maio. Do total de medalhas, três são de ouro, três de prata, três de bronze e uma Honra ao Mérito.

 

A Canguru de Matemática reuniu, de forma online, estudantes matriculados regularmente desde o 3º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio. O colégio teve a participação de 78 alunos nesta edição. No ano passado, o Curso G9 conquistou três medalhas na competição.

 

O Curso G9 incentiva os alunos a participarem nas mais variadas olimpíadas do conhecimento porque essas provas ajudam a desenvolver a disciplina, o foco nos estudos e são um ótimo treinamento para os vestibulares. Várias universidades já adotam as notas de olimpíadas como opção aos vestibulares, como Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e Unifei (Universidade Federal de Itajubá).

 

SENSIBILIZAÇÃO

Em 11 de maio, os ex-alunos Luíza Gonçalves (UFMG), Pedro Henrique Mouallem (Unifei) e Renan Barbosa Silva (Unifei) conversaram com os alunos do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental II sobre a importância de participar das olimpíadas do conhecimento.

 

Em comum, todos foram medalhistas em olimpíadas do conhecimento: Luíza Gonçalves e Renan Barbosa foram premiados em várias edições da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA); e Pedro Henrique, conquistou medalha na ONC (Olimpíada Nacional de Ciências).

 

Aliás, Renan Barbosa Silva, medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) 2020, foi o primeiro do colégio a entrar na Unifei (Universidade Federal de Itajubá) dessa forma.

 

Os alunos interessados em participar das demais olimpíadas que irão acontecer ainda este ano, como OBA e OBMEP, devem procurar os professores Mateus Francisco ou Vicente Carlos Martins ou a coordenação pedagógica do segmento.

 

CANGURU BRASIL

Com origem na França, essa olimpíada do conhecimento é administrada globalmente pela Associação Canguru sem Fronteiras (Association Kangourou sans Frontières – AKSF). O concurso, que é o maior do gênero no mundo, reúne em média 6 milhões de participantes por ano, de ao menos 75 países.

 

O concurso é dividido em seis níveis: nível P (Pre Ecolier) – alunos do 3º e 4º anos do EFI; nível E (Ecolier) – alunos do 5º e 6º anos do EFI e EFII, respectivamente; nível B (Benjamin) – alunos do 7º e 8º anos do EFII; nível C (Cadet) – alunos do 9º ano do EFII; nível J (Junior) – alunos da 1ª e 2ª séries do EM; e nível S (Student) – alunos da 3ª série do EM.

 

Confira os alunos medalhistas do Curso G9:

 

OURO

Maria Luísa Ribeiro e Silva – 8° AnoJoão Pedro Tilmann de Souza – 1ª SériePedro Féris Renno El Alam – 1ª Série

 

PRATA

Marcos Renato Gonçalves Dias – 8° AnoThalita Guimarães Pedrosa – 6° AnoLetícia Ribeiro Guedes – 8° Ano

 

BRONZE

Matheus Dourado de Campos Lima – 9° AnoPedro Ferreira Cardozo – 8° AnoLivia Castilho Pereira – 2ª Série

 

HONRA AO MÉRITO

Rafael Monti Benac – 3ª Série

Leia Mais
...
17 de maio de 2021

Alunos conquistam dez medalhas na Canguru de Matemática

Saúde mental é tema de curso de formação aos professores

O Curso G9, em parceria com a psicóloga Ana Luísa Fernandes, preparou um circuito formativo para os professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I para debater temáticas relacionadas à saúde mental.

 

O primeiro encontro, realizado em 6 de maio, teve como tema “Identificando as emoções: como as crianças externalizam seus sentimentos?”. Haverá outros três encontros, em que serão debatidos a ansiedade, a depressão e o medo.

 

“Nosso objetivo, ao propor e elaborar esse projeto, é preparar a equipe docente para atuar na prevenção do adoecimento emocional das crianças”, explicou a coordenadora da Educação Infantil, Jéssica Antunes Dias.

 

Para a psicóloga Ana Luísa, “a prevenção é a melhor forma de intervenção em meio aos conflitos que temos vivenciado e vivenciaremos nos próximos meses”. “Estar próximo aos educadores nesse momento é de grande valia não só pela prevenção ao adoecimento emocional das nossas crianças, mas também pelo cuidado com os docentes que são e sempre serão referência e espelho às crianças”, explicou.

 

Confira os próximos encontros: em 20/05, o tema será “Ansiedade: E agora?”; em 10/06, “Como trabalhar com o ‘monstrinho’ da depressão na infância?”; e, em 24/06, “Ter medo é sempre algo ruim? Identificando o medo necessário à sobrevivência”.

 

Saúde Mental

O Curso G9 se preocupa muito com a educação socioemocional de seus alunos. Por isso, em parceria com a Geekie, selecionou, quatro artigos que tratam de temas muito importantes, como fortalecimento de vínculos, conexões afetuosas e outras ferramentas que podem contribuir para a melhoria da saúde mental de crianças e adolescentes. Clique aqui e confira.  

Leia Mais
...
13 de maio de 2021

Saúde mental é tema de curso de formação aos professores

Grupo de Teatro produz curtas para falar sobre problemas sociais

Alunos da Oficina de Teatro do Curso G9 apresentaram às turmas do Ensino Fundamental II, três teatros, em forma de curta-metragem, no gênero Comédia de Tipo. Eles abordaram problemas sociais, como violência urbana e bullying. Toda a roteirização, produção e edição foram feitas por eles, de forma remota, e supervisionada pelo professor Luan Fernandes.

 

“Os alunos fizeram um trabalho lindo e trouxeram para reflexão alguns problemas sociais que entenderam como sendo algo que precisa ser mencionado e discutido”, explicou o professor. “Quero destacar o envolvimento de todos pelo desafio de gravar e editar as cenas à distância”, completou.

 

As peças, no formato curta-metragem, foram apresentadas às turmas do 6º ao 9º ano do Fundamental II, nos dias 5 e 6 de maio. Em cada série, houve também uma bate-papo com as turmas. “Foi muito rica a experiência, pois, ao final, movidos pela apresentação, muitos alunos e professores compartilharam sentimentos e puderam se divertir com dinâmicas teatrais pelo grupo”, ressaltou Luan Fernandes.

Leia Mais
...
06 de maio de 2021

Grupo de Teatro produz curtas para falar sobre problemas sociais

35 alunos estão na 2ª fase da Olimpíada Nacional de Ciências

O Curso G9 será representado por 35 alunos, do Ensino Médio e 9º anos do Ensino Fundamental II, na segunda fase da Olimpíada Nacional de Ciências (ONC). A prova será realizada, também de forma online, em 22 de janeiro de 2021. Participaram da primeira etapa em torno de dois milhões de estudantes do Brasil.

 

A ONC integra o Programa Ciência na Escola e é uma realização de cinco Sociedades Científicas: a SBF (Sociedade Brasileira de Física), a ABQ (Associação Brasileira de Química), o Instituto Butantan, a Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

Na primeira fase, em agosto, os alunos responderam a 20 questões objetivas, envolvendo as disciplinas de química, física, biologia, história e astronomia. Os conteúdos são sempre referentes à série anterior a que o estudante está cursando.

 

OBA – MOBFOG

Alunos do Curso G9 conquistam 15 medalhas na 23ª edição da OBA. Do total, cinco medalhas de ouro, nove de prata e uma de bronze; O aluno Vinicius Moreira Campos também conquistou uma medalha de ouro na 14ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG).

 

CANGURU – ONHB

Em agosto, três alunos conquistam bronze na olimpíada Canguru de Matemática, que está em sua 11ª edição. O Curso G9 também foi, pela décima vez consecutiva, finalista da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), promovida pela Unicamp.

Leia Mais
...
18 de dezembro de 2020

35 alunos estão na 2ª fase da Olimpíada Nacional de Ciências

Alunos do Curso G9 conquistam 15 medalhas na 23ª edição da OBA

Alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio do Curso G9 conquistaram cinco medalhas de ouro, nove de prata e uma de bronze na 23ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), edição realizada por meio de uma plataforma digital.

 

O aluno Vinicius Moreira Campos também conquistou uma medalha de ouro na 14ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), olimpíada inteiramente experimental, que consiste em construir e lançar foguetes. Neste ano, em função do isolamento social, não houve lançamento presencial, uma simulação por meio de uma plataforma digital. Os resultados da OBA e da MOBGOG foram divulgados em 14 de dezembro.

 

Outra boa notícia para os medalhistas do Curso G9: Elisa de Lorenzi, Enzo Conti, João Pedro Bernardo, João Pedro Tilmann, Mariana Amorim, Renan Barbosa, Thiago Taets, Vinicius Ferreira, Vinicius Moreira e Vinícius Souza irão participar da pré-Seleção para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia de 2021.

 

Os estudantes selecionados nos treinamentos, que serão realizados em 2021, irão compor as equipes brasileiras que participarão da IOAA (International Olympiad of Astronomy and Astrophysics), GeCAA (Global e-Competition of Astronomy and Astrophysics) e OLAA (Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica).

 

Em agosto, três alunos conquistam bronze na olimpíada Canguru de Matemática, que está em sua 11ª edição. O Curso G9 conquistou, pela décima vez consecutiva, vaga para a final da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

 

EXPERIÊNCIA

“Participar da OBA é uma experiência incrível. Ela nos proporciona um aprendizado mais profundo sobre temas como física, matemática, astronomia básica e sua história”, disse o aluno Renan Barbosa, da 3ª série do Ensino Médio (Turma M32).

 

Para ele, ter conquistado ouro este ano, é fruto de uma longa dedicação e incentivo dos professores Mateus Bibiano Francisco e Vicente Carlos Martins. “Eles me estimulam, desde o Ensino Fundamental, a participar dessa olimpíada. Isso, com certeza, contribuiu para o meu crescimento a cada edição, tornando possível tal conquista”, completou.

 

“Assim como as demais olimpíadas, chegamos a mais um resultado sensacional na OBA, mantendo a trajetória de conquistas que temos imprimido ao longo dos anos. Apesar das adversidades do ano 2020, que obrigaram a desenvolver uma prova online, nosso alunos aceitaram o desafio e puderam aplicar o que foi aprendido em várias atividades com a temática de astronomia, sobretudo no Clube de Ciências, na qual a maioria dos medalhistas são assíduos”, explicou o professor Mateus Bibiano Francisco, um dos coordenadores do Clube de Ciências, ao lado do também professor de Matemática, Vicente Carlos Martins.

 

OBA – MOBFOG

A OBA e a MOBFOG são organizadas, em âmbito nacional, pela Sociedade Astronômica Brasileira e pela Agência Espacial Brasileira. A OBA conta com dez questões, com os mais variados temas sobre Astronomia e Astronáutica, avalia tanto o conhecimento teórico dos alunos quanto o raciocínio lógico para resolução de problemas. A olimpíada é dividida em quatro níveis – os três primeiros são para alunos do Ensino Fundamental e o quarto para os do Ensino Médio.

 

A Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) é uma olimpíada inteiramente experimental, pois consiste em construir e lançar, obliquamente, foguetes, a partir de uma base de lançamento, o mais distante possível. Foguetes e bases de lançamentos devem ser construídos por alunos individualmente ou em equipes de até três componentes. Neste ano, também foi feita de forma remota.

 

Confira abaixo os alunos medalhistas:

 

MEDALHISTAS OBA – ENSINO MÉDIO

 

OURO

Renan Barbosa Silva: 3ª série (Turma M32)

 

PRATA

Enzo Serrano Conti: 3ª série (Turma M32)João Pedro Bernardo de Paula: 3ª série (Turma M31)Thiago Taets e Sales: 2ª série (Turma M21)Vinicius Ferreira dos Santos: 2ª série (Turma M21)Vinicius Moreira Campos: 3ª série (Turma M32)

 

BRONZE

Vinícius Souza dos Santos: 1ª série (Turma M12)

 

 

MEDALHISTAS OBA – ENSINO FUNDAMENTAL II

 

OURO

Elisa Valença de Lorenci: 9º ano (Turma F92)João Pedro Tilmann Souza: 9º ano (Turma F92)Mariana Amorim Santos: 9º ano (Turma F91)Pedro Ferreira Cardozo: 7º ano (Turma F71)

 

PRATA

Gustavo Taets e Sales: 9º ano (Turma F92)Ian Fernandes de Lima e Silva: 8º ano (Turma F82)Maria Júlia Monti Bustamante: 7º ano (Turma F71)Mariane Marques Marcondes: 7º ano (Turma F72)

 

MEDALHISTA – MBFO

 

OURO

Vinicius Moreira Campos: 1ª série (Turma M12)

Leia Mais
...
17 de dezembro de 2020

Alunos do Curso G9 conquistam 15 medalhas na 23ª edição da OBA

GDroid é campeã geral do Torneio Brasil de Robótica 2020

O Curso G9 é bicampeão do Torneio Brasil de Robótica (TBR) com o primeiro lugar geral da Etapa Nacional 2020 conquistada pela equipe GDroid. O anúncio foi feito neste sábado, 12 de dezembro, por meio de transmissão da organização do evento pelo YouTube. Em 2019, a grande vencedora foi a Equipe GTEeN que, neste ano, venceu na Categoria Tecnologia & Engenharia.

 

Destaques individuais para os atletas robóticos Luiza Gonçalves e Pedro Henrique Gonçalves Mouallem, ambos da 3ª série do Ensino Médio, que foram agraciados com bolsa de estudo do Centro Universitário ENIAC. No total, a organização do evento destinou seis bolsas de estudo aos participantes que se destacaram durante a competição.

 

“Apesar das dificuldades decorrentes da pandemia, conquistar o bicampeonato para o Curso G9 revela que estamos no caminho certo e que as incontáveis horas de dedicação valeram a pena”, disse o professor de Matemática e um dos mentores da equipe, Mateus Francisco.

 

Tradição em Robótica

Para Vicente Carlos Martins, o mentor mais antigo das equipes de robótica do Curso G9, a trajetória vitoriosa da GDroid, que tem apenas três anos de existência, vem coroar o trabalho que é desenvolvido pelo colégio. “Há mais de dez anos, o Curso G9 investe em robótica e na criação de equipes competitivas”, destacou.

 

“A GTEeN é a mais longeva participante do TBR e a que obteve o maior número de premiações nesses dez anos. Agora em 2020 conquistou o 1º. lugar no difícil quesito ‘Tecnologia e Engenharia’, que é o projeto, a montagem e a programação do robô”, disse Vicente Martins.

 

A GTEeN e GDroid chegaram à etapa nacional depois de vencerem a Etapa Regional Mineira. A GTEeN conquistou a Categoria Middle 2, para alunos de 12 a 15 anos, e a GDroid venceu a Categoria High, para alunos de 15 a 19 anos.

 

Recompensa

“Foi muito gratificante poder continuar desenvolvendo programações e usando o que aprendemos nos anos anteriores para explorar o nosso robô, ainda que de maneira virtual; ver um prêmio nacional nos recompensando por todo esse esforço nos motiva a continuar ousando e criando cada vez mais em robótica”, disse João Pedro Tilmann de Souza, aluno do 9º ano do Ensino Fundamental II (Turma F92), da equipe GTEeN.

 

Para Luíza Gonçalves, é muito gratificante receber a bolsa de estudos do Centro Universitário ENIAC, “pois ela representa mais um reconhecimento dos nossos esforços nos trabalhos para o Torneio Brasil de Robótica”. A bolsa é fruto de todo empenho e dedicação da equipe. Fico mais feliz ainda de recebê-la junto com o Pedro, que participa da GDroid desde a sua formação”, disse.

 

“Estava em um momento de muita celebração com a conquista do primeiro lugar no TBR quando a organização do evento anunciou os contemplados com as bolsas. Foi mais um motivo de comemoração, principalmente para mim e minha colega de robótica Luiza, que me convidou para participar da equipe. Foi nosso último campeonato e nos despedimos, muito gratos e felizes, vendo que a equipe cresceu e já faz história”, completou.

 

Leia Mais
...
16 de dezembro de 2020

GDroid é campeã geral do Torneio Brasil de Robótica 2020

Bate-papo de ex-alunos e turmas do 8º e 9º anos do Fundamental II

Momentos para refletir sobre a vida, os sonhos e a busca pela realização pessoal e profissional. Assim foram os dois encontros virtuais dos alunos do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental do Curso G9 com os ex-alunos Pedro Gama, eleito vereador em Itajubá para a legislatura 2021-2024, e Renan Santana, médico nas cidades paulistas de Atibaia e Bragança Paulista.

 

“Foi um imenso prazer receber os dois ex-alunos para um bate-papo com as turmas finais do nosso segmento. Os alunos estão naquele momento de começar a projetar o futuro, se autoconhecer, definir os caminhos a seguir”, explicou a coordenadora pedagógica, Estela Maria de Oliveira. “Pedro e Renan em muito contribuíram com esse objetivo, ao contarem sobre o estudo, a vida e os desafios do mundo atual”, completou.

 

O primeiro encontro, em 30 de novembro, foi com Pedro Gama. O tema da conversa com os alunos foi “Projeto de Vida: sonhos, persistência e disciplina na busca de sua realização”. Já o bate-papo com Renan Santana, em 3 de dezembro, teve como fio condutor “Saúde do adolescente:  prazeres e riscos”. Ambos foram realizados por meio de uma plataforma da Google for Education, parceira do Curso G9.

 

Formação integral

Pedro Gama e Renan Santana destacaram, ao longo das conversas, a importância da formação integral, proporcionada pelo Curso G9, para a realização de seus sonhos. Ambos lembram com carinho das várias edições da Feira do Conhecimento que, neste ano, realizou sua primeira versão digital – clique aqui para conferir o trabalhos dos alunos.

 

“Foram tantos trabalhos interessantes, tantos projetos. Cada um, com certeza, foi um tijolinho na construção de quem sou hoje”, disse Pedro Gama, formado em Direito pela USP e que, neste ano, foi eleito vereador em Itajubá.

 

Além da Feira do Conhecimento, ele disse ter boas lembranças do Ensino fundamental II e de sua participação nos trabalhos de Literatura, com a professora Tereza Montalvão e nos projetos Júri Simulado da Era Vargas, uma proposta de estudo da professora Patrícia Ribeiro para as turmas do 9º ano; na Olimpíada Nacional em História do Brasil, promovida pela Unicamp, da qual foi medalhista de prata; e das modalidades esportivas, em especial, do Handebol.

 

Para Renan Santana, as agradáveis lembranças são da Oficina de Música e do Intervalo Musical, que proporciona aos alunos um momento não só de aprendizagem, mas também de descontração, partilha e socialização. “Ainda hoje a música me acompanha nos momento de folga, até comecei a estudar piano e violino”, disse ele, que se formou na Faculdade São Francisco de Bragança Paulista e atuou no hospital de campanha contra a Covid-19, em Guarulhos (SP).

 

Outra grata recordação é sua participação nas equipes de robótica, como monitor e técnico da equipe GTec, no campeonato sul mineiro. “Sempre tive muito apoio no G9, e percebo como isso é importante. Quando trabalhei em uma unidade básica, percebi como os adolescentes e jovens precisam de alguém que saiba ouvi-los”, destacou. Reforçou aos alunos que sempre busquem apoio e orientações junto aos pais, professores e coordenadores da escola.

Leia Mais
...
14 de dezembro de 2020

Bate-papo de ex-alunos e turmas do 8º e 9º anos do Fundamental II

TOPO