Loader Image

NOTÍCIAS

Curso G9 conquista 3 títulos no Mineiro de Xadrez Escolar

Atletas do Curso G9 conquistaram dois títulos no Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2020, competição oficial da Federação Mineira de Xadrez (FMX). São eles: André Bernardo Britto, do 3º ano do Ensino Fundamental I, campeão da Categoria A; e Pedro Arango, da 2ª série do Ensino Médio, campeão da Categoria D.

 

O Curso G9 conquistou ainda o título de Melhor Escola da competição, que reuniu em torno de 500 alunos, de 70 escolas do Estado. A última e decisiva etapa aconteceu nos dias 28 e 29 de novembro. Todas as seis fases aconteceram de forma remota, com organização da Genius – Academia de Xadrez, de Itajubá. André Brito é mestre nacional pela Confederação Brasileira de Xadrez.

 

“Foram longos meses de muita disputa e de belas partidas para que finalmente conhecêssemos os campeões mineiros escolares de 2020. Os nossos atletas estão de parabéns pelo desempenho na competição, mostraram garra e dedicação, ainda mais neste ano atípico, com partidas online”, destacou o professor de Xadrez do Curso G9, Antônio Martins.

 

A entrega simbólica dos troféus e certificados será realizada neste sábado, 05 de dezembro, durante transmissão ao vivo pelo YouTube, que contará com a participação especial do Grande Mestre (GM) Krikor Sevag Mekhitarian. Para acompanhar o evento, basta acessar o link https://youtu.be/gu-Vosdl0vo

 

Circuito Mineiro

O Circuito foi disputado em cinco categorias: Melhor Escola: definida pela pontuação de seus respectivos alunos em cada uma das outras quatro categorias; Categoria A: disputada entre os alunos da Educação Infantil e 1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental; Categoria B: envolveu os alunos do 4º, 5º e 6º anos do Ensino Fundamental; Categoria C: disputada entre os alunos do 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental; Categoria D: que reuniu alunos da 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio.

Leia Mais
...
30 de novembro de 2020

Curso G9 conquista 3 títulos no Mineiro de Xadrez Escolar

Curso G9 amplia Bright Futures para todo Ensino Fundamental I

O Curso G9 irá ampliar, a partir de 2021, o Bright Futures para as turmas do 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental I. Implantado em parceria com a Oxford University Press, o programa apresenta metodologia eficaz que resulta em melhora da pronúncia da Língua Inglesa e no desenvolvimento da consciência fonológica, da criatividade, do pensamento crítico, da colaboração e da comunicação.

 

A novidade foi tema de encontro virtual, realizado por meio de uma das plataformas do Google for Education, que reuniu pais, professores, coordenação pedagógica e direção do Curso G9, em 12 de novembro. O encontro contou com a participação das consultoras da Oxford University Press, Cláudia Lopes e Dannubia Oliveira.

 

“Estamos muito felizes em poder ampliar o programa as demais séries e, assim, concluir a implantação do Bright Futures em nosso segmento”, disse a coordenadora pedagógica, professora Nilceia Julliana Ribeiro de Carvalho Pereira. “Os alunos terão contato diário com o inglês, durante os cinco dias da semana letiva. Completou.

 

De acordo com Nilceia Ribeiro, no programa, a abordagem lúdica e natural integra arte, ciências, matemática, expressão corporal, tecnologias, brincadeiras, contação de histórias, com material didático próprio para vivência e conforto das crianças. “Em todas as aulas, as propostas são conduzidas em inglês através de comandos e exemplos para que os alunos pratiquem o idioma. Os alunos exploram temas, utilizando tecnologia, textos, imagens e vivências, o que permite o contato com a língua e a ampliação de conhecimento de mundo”, ressaltou.

PARCERIA

O Bright Futures foi implantado no Curso G9 no ano letivo de 2019, quando o aprendizado da Língua Inglesa passou a integrar o currículo das turmas do Maternal II (3 anos), do Jardim I (4 anos) e do Jardim II (5 anos) do Curso G9.

 

Em 2020, passou a incluir os alunos do 1º e do 2º anos do Ensino Fundamental I, por meio do Bright Futures, e as turmas do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental II, que contam com o programa Oxford Quality.

 

SOBRE A OXFORD

A Oxford University Press é um departamento da Universidade de Oxford. Ela dá suporte aos objetivos da universidade de excelência em pesquisa, educação e difusão do conhecimento por meio de suas publicações em todo o mundo. Os materiais da Oxford, incluindo as soluções para o ensino e aprendizagem de inglês, passam por um rigoroso processo de desenvolvimento e são submetidos a um rígido controle de qualidade e aprovação pela Universidade de Oxford.

 

INFORMAÇÕES

Mais informações sobre o programa e matrículas para 2021, entre em contato pelo telefone (35) 3623-1877 ou pelo e-mail marketing@cursog9.com.

 

Leia Mais
...
27 de novembro de 2020

Curso G9 amplia Bright Futures para todo Ensino Fundamental I

Reunião com alunos mostra facilidades com a Geekie One

Novos desafios e oportunidades aos alunos do Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Pré-vestibular. A partir de 2021, o principal material utilizado pelos segmentos será o Geekie One, plataforma digital da empresa Geekie, parceira do Curso G9. A novidade foi tema de encontros virtuais, no início de novembro, com o consultor Acainã Azevedo, responsável pela implantação da plataforma no colégio.

 

“A plataforma veio somar ao nosso projeto pedagógico e facilitar o nosso trabalho. Na prática, professores e alunos assumem o protagonismo no processo de aprendizagem, graças ao dinamismo que ela proporciona”, explicou o diretor de Planejamento do Curso G9, professor Giovanni Henrique Faria Floriano.

 

De acordo com o diretor, esses encontros foram importantes para mostrar aos alunos as vantagens e facilidades da Geekie One. A plataforma foi adotada este ano desde a suspensão das aulas presenciais, em março. Também estão sendo realizadas reuniões com os pais de cada segmento para falar sobre as mudanças que virão no ano letivo de 2021.

 

Durante os encontros virtuais, realizados por uma das ferramentas da Google for Education, os alunos se mostram satisfeitos com a Geekie One. “A forma como o conteúdo é apresentado na plataforma é perfeito porque permite compreender a matéria sem ter que ler muitas”, disse Mariana Bressan Pizarro, aluna da 2ª série (Turma M21). “Gostei muito da plataforma porque consegui concentrar meus estudos: exercícios, fórmulas e tarefas tudo num lugar só”, completou Vinicius Ferreira dos Santos, da Turma M22.

 

A plataforma também foi apresentada aos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I que, no próximo ano, estarão no 6º ano do Ensino Fundamental II – que adotará o material da Geekie One. Os alunos do Fundamental II também usarão os materiais da Oxford University Press (Inglês) e da Moderna (Espanhol).

 

GEEKIE ONE

O material da Geekie One reúne mais de 2.500 capítulos centrais ao dia a dia da escola, que podem ser trabalhados de acordo com o planejamento feito pelo professor. Aliado das aulas, em formato mais dinâmico e interativo, o universo digital amplia as possibilidades de aprendizagem por meio de vídeos, imagens, links e animações, além de permitir atualizações e customizações que aproximam o conteúdo da realidade da classe.

 

O acesso à plataforma pode ser feito por dispositivos móveis, mas o Curso G9 irá disponibilizar Chromebook a todos os alunos e professores. “Os Chromebook, outra importante ferramenta para o ensino, serão entregues aos alunos em forma de comodato”, destacou Giovanni Floriano.

 

 

Leia Mais
...
20 de novembro de 2020

Reunião com alunos mostra facilidades com a Geekie One

Ex-aluna conta história de luta e superação contra a diabetes

Um relato emocionante de superação, com dicas importantes sobre o cuidado com a saúde do corpo e da mente e sobre alimentação saudável. Assim foi o bate-papo virtual da professora Bárbara Melo com os atletas de handebol do Curso G9, durante aula da professora Valência Conti. Ex-aluna do colégio, ela tem diabetes tipo 1, a menos comum, que surge na infância e adolescência.

 

“Descobri a doença com 19 anos, depois de passar mal e ser levada ao hospital. No começo, achei que, após esse episódio, a vida seria normal, poderia me alimentar da mesma forma. Com o tempo, descobri que não era bem assim, que não deveria seria dependente da insulina”, explicou.

 

As complicações vieram, lembra a ex-aluna. “Tive nova crise, um desmaio, que me deixou 45 dias no hospital, boa parte em uma UTI [Unidade de Terapia Intensiva]. Foram três paradas cardíacas, em 15 minutos. Foi um momento muito difícil da minha vida, mas pude contar com o apoio da minha família, do meu noivo e dos meus amigos”, disse. Em decorrência desse mal estar, Bárbara Melo perdeu a fala temporariamente, a memória recente e os rins pararam, o que a obrigou a fazer hemodiálise e transfusão de sangue.

 

“Hoje, já recuperei, embora não totalmente, minha capacidade de falar, mas ainda tenho problemas com a memória recente. Pode ser que, ao final do dia, não me lembre dessa conversa nossa”, destacou. A melhora ocorre porque tem sido acompanhada por nutricionista, neuropsicóloga, nefrologista, fisioterapeuta e endocrinologista.

 

Ela acredita que, brevemente, estará bem melhor e poderá retomar seu sonho, que é ministrar aulas de Educação Física – ela se formou na Universidade de Taubaté (Unitau) no ano passado, e foi receber seu diploma em uma cadeira de rodas. “Tudo isso aconteceu em um momento muito importante da minha, estava super feliz e realizada com a faculdade e com a participação nos times de vôlei, futsal e handebol da Unitau”, contou. Aliás, essas eram as modalidades das quais participava no Curso G9. “Escolhi a Educação Física por influência da professora Valência, que será madrinha do meu casamento”, destacou.

 

“A Bárbara sempre foi uma aluna e uma atleta muito dedicada, muito disciplinada. Tenho certeza de que esse seu histórico ajudou muito na recuperação”, destacou a professora. “As vitórias até aqui traduzem muito a Bárbara, que sempre teve garra e disposição para lutar nas quadras e, agora, para vencer esse momento difícil de sua vida. Torcemos pela sua pronta recuperação”, disse o Giovanni Henrique Faria Floriano, diretor de Planejamento do Curso G9, que participou do encontro virtual. Para Luisa Kallás Pinto, atleta e aluna do colégio, a Bárbara sempre foi “uma guerreira”. “Obrigada por compartilhar sua história com a gente”, disse durante o encontro, em 12 de novembro, que aconteceu por meio de uma plataforma do Google for Education.

 

Leia Mais
...
18 de novembro de 2020

Ex-aluna conta história de luta e superação contra a diabetes

Clube de Ciências promove Desafio Escape Virtual

Os alunos da Oficina de Monitoria do Clube de Ciências do Curso G9 desenvolveram um Escape Virtual com os alunos do 6º ao 9º do Ensino Fundamental II. A atividade, que reuniu 40 alunos, explorou diversos conceitos das disciplinas de Química e Física por meio de enigmas que permitiram, a partir da solução, avançar de fase.

 

“A atividade foi muito interessante. A dinâmica do trabalho contou com uma história, que indicava o objetivo da atividade: resgatar os professores coordenadores do clube que, supostamente, foram aprisionados por um ex-aluno. O grupo que conseguisse chegar nos professores primeiro, ganharia o desafio”, explicou Mateus Francisco, um dos coordenadores do Clube de Ciência, juntamente com o professor Vicente Carlos Martins.

 

Para a aluna Aline Ramos de Souza, do 9º ano do Ensino Fundamental II (Turma F92), a atividade “foi incrível”. “Aprendi muita coisa interessante e retomei conceitos de assuntos já estudados a partir de atividades criativas”, disse.

 

“Os organizadores do Clube de Ciências estão sempre buscando atividades dinâmicas e desafiadoras para incentivar nossa curiosidade, mas o último encontro que participamos conseguiu superar os outros.  A série de enigmas organizados pelos monitores conseguiu usar de nossa competitividade para nos transmitir conhecimentos de forma tão leve e divertida, que foi só quando saímos do clube que nos demos conta do quanto aprendemos no meio da corrida contra o tempo e de toda aquela vontade de vencer o desafio”, disse o aluno João Pedro Tilmann de Souza, também da Turma F92.

 

Clube de Ciências

O Clube de Ciências é um projeto pedagógico do Curso G9 que tem como objetivo levar aos alunos conhecimentos complexos da Biologia, Física e Química de forma lúdica e experimental, o que torna o conhecimento mais interativo. As atividades são voltadas para os alunos do Ensino Fundamental II, que são divididos de acordo com a série que estão.

 

Neste ano, o clube passou a contar com o apoio da monitoria feita pelos alunos do Ensino Médio, ex-integrantes do Clube durante o Fundamental II. São eles: Rafael Neves de Moraes Castro, da 1ª série (Turma M11); Vinicius Ferreira dos Santos (Turma  M21), Thiago Taets e Sales (Turma M21), Luiza Amorim Prezoto (Turma M21), Raul Trevisan (Turma M21) e Rafael Monti Benac (Turma M22), da 2ª série; e Renan Barbosa Silva, da 3ª série (Turma M32).

 

 

Leia Mais
...
13 de novembro de 2020

Clube de Ciências promove Desafio Escape Virtual

Equipe do G9 na final da Olimpíada de História da Unicamp

O Curso G9 conquistou, pela décima vez consecutiva, vaga para a final da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), promovida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O colégio será representado pela equipe “As Minas de Ouro”, formada pelas alunas Ana Júlia Alvarenga e Silva, Ana Luísa Duarte da Fonseca e Jade Chaluppe El Alam, todas da 1ª série do Ensino Médio (Turma M11).

 

“Estou muito feliz com o resultado e grata aos alunos que aceitaram o desafio este ano: todos demonstraram comprometimento, responsabilidade e dedicação durante as oito semanas da ONHB. Foram muitos dias, noites e finais de semana de trabalho intenso, de muito estudo, pesquisa e debates virtuais”, explicou a orientadora das equipes, Patrícia Ribeiro, professora de História do Ensino Médio.

 

Ela contou que as atividades foram de “excelente qualidade, com análise social muito grande, com um viés acadêmico muito forte”. Neste ano, ao contrário das 11 edições anteriores, a etapa final da ONHB também será virtual. Participam da etapa final 421 equipes de todo o Brasil, sendo 28 de Minas Gerais.

 

“Neste ano, não pudemos nos reunir fisicamente para discutir as questões e para nos divertirmos com as pesquisas juntas, mas mesmo com cada uma em sua casa, fizemos um trabalho muito bom, com a orientação da professora Patrícia”, disseram as alunas. “A olimpíada nos desafia em todas as fases. Para nossa equipe, o maior desafio foi escrever uma crônica dissertativa. Com a ajuda da professora Regiane, nos empenhamos e escrevemos um texto do qual nos orgulhamos muito. A cada entrega das questões a expectativa de passar aumentava mais”, contam. “Quando recebemos a notícia que nossa equipe era uma das finalistas, a emoção e a felicidade tomaram conta e comemoramos muito”, concluíram.

 

ONHB

A Olimpíada Nacional em História do Brasil é um projeto realizado pelo Departamento de História da Unicamp. A participação ocorre por meio de equipes formadas por um professor e três alunos matriculados nos 8º e 9º anos do Ensino Fundamental II e todas as séries do Ensino Médio.

 

O Curso G9 participou de 11 das 12 edições da ONHB, sendo medalhista nos anos de  2011, 2016 e 2018 - a única medalha em Minas Gerais em 2018. 

 

Neste ano, o Curso G9 começou a competição com 9 equipes, em um total de 27 alunos – todas chegaram à semifinal. “Todas as equipes estão de parabéns pelo trabalho realizado, que exigiu muito por ter sido feito somente de maneira remota”, destacou Patrícia Ribeiro.

 

Ela faz um agradecimento especial ao apoio que as equipes tiveram dos professores Regiane Ramos, de Literatura; João Sita, da Oficina de Comunicação Criativa; Silvânia Maria Pereira e Cláudia Ribeiro Fortes de Souza, de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental II; e Maria Aparecida Fernandes, diretora pedagógica do Curso G9.

 

CANGURU

Neste ano, alunos do Curso G9 conquistaram bronze na olimpíada Canguru de Matemática, uma competição internacional destinada aos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental até os da 3ª série do Ensino Médio. Também se classificaram para 2ª fase da Olimpíada Nacional de Ciências.

 

 

Leia Mais
...
09 de novembro de 2020

Equipe do G9 na final da Olimpíada de História da Unicamp

Combate à fome no mundo é tema de trabalho no Ensino Médio

A preocupação com o figurino foi apenas um detalhe na apresentação dos trabalhos dos alunos da 1ª série do Ensino Médio do Curso G9, que simularam uma reunião da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura). O tema, desenvolvido desde o início do ano letivo, foi “Estratégias de Combate à Fome no Mundo”.

 

“O resultado foi incrível, com propostas que poderiam ser programas de governos em qualquer parte do mundo”, disse professora de Geografia e Geopolítica do Curso G9, Marília Gil de Souza, organizadora do tradicional trabalho na área de Humanas. “Os alunos se envolvem, participam e se preocupam em se apresentar adequadamente nesse fórum de discussão”, completou.

 

Para ela, o mais importante do processo “é perceber, nos alunos, transformações pessoais que influenciam, muitas vezes, na postura e visão de mundo, além da consciência da responsabilidade de cada um no meio em que vive, desenvolvendo seu senso crítico e vivenciando os mesmos desafios enfrentados pelas delegações nas reuniões ministeriais da FAO”, explicou.

 

Neste ano, o Prêmio Nobel da Paz foi concedido justamente ao Programa Mundial de Alimentos (PMA) da FAO/ONU, que tem sede em Roma. Para o comitê organizador, a pandemia da Covid-19 contribuiu para o “drástico recrudescimento” no número de vítimas da fome, que reconheceu a “impressionante capacidade” do programa em manter sua atividade também durante a emergência sanitária.

 

DINÂMICA

Marília Gil disse que trabalha, todos os anos com as turmas da 1ª série, um tema em que há a simulação de uma reunião de um órgão ou agência da ONU. No planejamento feito para o ano letivo 2020, a escolha foi para a FAO devido à importância desse órgão em liderar os esforços internacionais de erradicação da fome e da insegurança alimentar, sempre visando projetos sustentáveis.

 

O objetivo da simulação é instigar os alunos a debaterem, argumentarem sobre o tema proposto, uma vez que representam países, incorporam papéis de chefes de Estado, desde vestimentas, argumentos até posições de defesa nas negociações. Antes, passam por uma apresentação prévia para ajustes finais nos trabalhos, feitos em duplas de alunos.

 

Este ano, as turmas enfrentaram um desafio a mais: a simulação foi virtual, o que exigiu um pouco mais para a montagem da mesa de cada delegado, as conversas e busca de acordos e consensos, próprios de uma reunião real da FAO. Uma ferramenta disponibilizada dentro do Google Meet, ferramenta do Google for Education, permitiu a criação de subsalas para que os delegados pudessem negociar, fazer alianças e defender o projeto de seu país.

 

“É um excelente recurso, pois permitiu que os acompanhamentos fossem feitos navegando nas diferentes subsalas de negociações. E valeu a pena, pois as negociações, as discussões, a defesa dos projetos, foi de alta qualidade e de muita competência”, disse a professora.

 

Para a aluna Anna Luiza Abelha, da Turma M12, participar da simulação da FAO “foi muito divertido e desbravador”. “Por meio do trabalho aprendemos a ter compreensão sobre a opinião de outros países e a buscar uma proposta favorável a todos, evitando oposição entre as delegações”, disse.

 

“Além disso, aprofundamos em tópicos atuais e importantes para a população mundial, como a saúde das plantas e a segurança alimentar. Aprendemos muito sobre os impactos humanos no planeta e, principalmente, a trabalhar em equipe e achar uma solução juntos”, completou a aluna. O projeto interdisciplinar complementa o tema geral da Feira do Conhecimento, “Saúde Vegetal no Mar e na Terra”, em consonância com a resolução da ONU, que escolheu 2020 como o Ano Internacional da Fitossanidade.

“Gostei muito do tema escolhido e achei muito interessante a decisão dos professores responsáveis de nos incentivar a criar estratégias de combate à fome tanto para os anos que virão quanto para o contexto em que vivemos atualmente, a pandemia de Covid-19. A insegurança alimentar aumentou muito com a pandemia e foi muito bom discutir os acontecimentos nos quais estamos vivendo em uma atividade escolar”, disse a aluna Gabriela de Almeida Ribeiro (Turma M11).

Ela disse que, como representante da Inglaterra na FAO/ONU, “essa experiência abriu novos horizontes para mim. O fato de a simulação ter sido feita online, me fez achar que não haveria o espírito de discussão que tivemos em simulações passadas, já que estávamos, de certa forma, desconectados uns dos outros. Porém, fiquei surpresa ao ver como a dinâmica de debates entre as delegações se encaixou bem a esse novo contexto”, disse.

 

AULAS REMOTAS

O Curso G9 mantém as atividades pedagógicas, por plataformas digitais, desde o início da quarentena. Confira o que está sendo feito na Educação Infantil, no Ensino Fundamental I, no Ensino Fundamental II e no Ensino Médio e Pré-vestibular.

 

Leia Mais
...
06 de novembro de 2020

Combate à fome no mundo é tema de trabalho no Ensino Médio

GTEeN e GDroid vencem etapa mineira do Torneio de Robótica

As duas equipes do Curso G9, GTEeN e GDroid, foram campeãs da Fase Regional Minas Gerais do Torneio Brasil de Robótica (TBR) e estão classificadas para a etapa nacional, que acontecerá em dezembro. O resultado foi divulgado neste sábado, 31 de outubro, por meio de uma live da organização do evento, no Youtube.

 

A GTEeN conquistou a Categoria Middle 2, para alunos de 12 a 15 anos, e a GDroid venceu a Categoria High, para alunos de 15 a 19 anos. As equipes têm como mentores os professores de Matemática, Vicente Carlos Martins e Mateus Francisco.

 

“Vencer o TBR foi uma emoção muito grande, mesmo a premiação sendo virtual. Com o primeiro lugar, garantimos nossa vaga para a nacional, e estamos empenhados em apresentar o melhor trabalho possível nessa etapa final”, disse o aluno Vinicius Ferreira dos Santos, da 2ª série do Ensino Médio (Turma M21) e membro da GDroid.

 

Para Fabiano Júnior, do 9º ano do Ensino Fundamental II (Turma F91), a GTEeN tem um histórico de 11 gerações de participação em torneios de robótica, “mas cada competição traz uma emoção diferente”. Em 2019, GTEeN foi a campeã geral da categoria Middle da Fase Nacional do TBR, título inédito para Itajubá.

 

“Quando chega o resultado, a gente percebe que todo o esforço e trabalho duro, principalmente neste período de isolamento, valeu à pena. A emoção de ver o nome da equipe e o reconhecimento do nosso trabalho em nossas telas foi das maiores alegrias da minha vida. Estou muito feliz porque alcançamos nossos objetivos”, ressaltou Fabiano Júnior, membro da GTEeN.

 

TBR 2020

Pela primeira vez em sua história, o Torneio Brasil de Robótica foi realizado totalmente pelas plataformas digitais em função da pandemia da Covid-19, mas manteve a forma de avaliação das equipes. São analisados três quesitos na competição: Organização e Método (a dinâmica do trabalho colaborativo); Pesquisa (com embasamento em referenciais e indicações advindas da entrevista com profissionais da área de fitossanidade, tema deste ano); e Tecnologia e Engenharia (alunos programaram e simularam ações de um robô com auxílio do Open Roberta Lab). Confira aqui como foi a preparação das equipes.

 

“Apesar de todas as adversidades que vivenciamos durante este ano, as equipes mostraram resiliência, conseguindo colher os frutos de longas horas de trabalho e dedicação, mesmo que distantes fisicamente”, disse Mateus Francisco, um dos mentores das equipes. Para a fase nacional, ele garante que GTEeN e GDroid “seguem confiantes, focando nas adaptações necessárias para essa etapa da competição, de modo a apresentar o melhor resultado possível”.

 

Cláudio Alvim Scianni, representante do TBR em Minas Gerais, agradeceu, durante a live no YouTube, “aos atletas, aos pais, aos mentores e às escolas que se adaptaram para a realização do TBR virtual”. “Continuamos firmes e fortes nesse caminho porque isso não é só um torneio de robótica. Esse evento promove transformação, produz ciência, produz conhecimento e mostra a importância do trabalho em equipe, é um legado para a vida de cada um”.

Leia Mais
...
04 de novembro de 2020

GTEeN e GDroid vencem etapa mineira do Torneio de Robótica

Quatro atletas do Curso G9 na final Circuito Mineiro de Xadrez

Quatro atletas do Curso G9 estão classificados para a etapa final do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2020, competição oficial da Federação Mineira de Xadrez (FMX), que reúne 70 escolas do Estado. A grande final será realizada, também de maneira remota, nos dias 28 e 29 de novembro.

 

O anúncio dos alunos classificados foi feito depois da sexta fase da competição, nos dias 24 e 25 de outubro. O Curso G9 conquistou o título de Melhor Escola do Circuito Mineiro, com 212 pontos. A segunda colocada, da cidade de Ipatinga/MG, ficou com 107 pontos e, a terceira, da Guaxupé, ficou com 102 pontos.

 

O colégio será representado na final pelos seguintes atletas: André Bernardo Britto, do 3º ano do Ensino Fundamental I, líder da Categoria A; Enzo de Almeida Ramos, do 5º ano, líder da Categoria B; Pedro Arango, líder da Categoria D; e Ian Fernandes, 10º colocado na Categoria C. André Britto e Enzo Almeida conquistaram, em agosto, o título de mestre nacional pela Confederação Brasileira de Xadrez.

 

“Estamos muito felizes com o resultado porque, desde o início, nossa equipe manteve o foco na competição. Agora, é manter a calma e o mesma atitude adotada até agora para terminarmos bem a competição”, explica o professor de Xadrez do Curso G9, Antônio Martins.

 

Para o diretor de Planejamento do Curso G9, professor Giovanni Henrique Faria Floriano, o resultado do Circuito Mineiro foi “mais uma grande conquista do Xadrez do Curso G9 e de Itajubá”. “O que faz a diferença é a excelência e consistência do trabalho realizado pelo professor Toninho Martins e a dedicação e qualidade dos nossos alunos e alunas enxadristas, motivo de orgulho para todos da comunidade escolar”, diz.

 

 

Leia Mais
...
02 de novembro de 2020

Quatro atletas do Curso G9 na final Circuito Mineiro de Xadrez

Encontros virtuais debatem tecnologia, educação e saúde

Os parceiros do Curso G9, Geekie One e Google Foreducation EdTech, promoveram encontros para debater temas como o necessário isolamento social para conter a Covid-19, as mudanças nos relacionamentos interpessoais, em especial entre pais e filhos, e os desafios enfrentados pela área de educação, obrigada a se adaptar ao ambiente virtual para manter o atendimento aos alunos. Os encontros, por meio do YouTube, reuniram pais, educadores e gestores escolares.

 

O primeiro encontro – “Todos na primeira fileira” – foi realizado pela Geekie One na quarta-feira, 21 de outubro. O convidado foi o jornalista e escritor Marcos Piangers, autor do best seller “O papai é pop”. Ele falou sobre o momento pelo qual o país está passando e sobre as expectativas para o futuro. “Sem dúvida, 2020 está sendo um ano difícil para todos, mas também de grande aprendizado porque estamos redescobrindo nossa humanidade”, disse.

 

De acordo com Marcos Piangers, as habilidades humanas serão o grande diferencial do futuro. Por isso, a escola deve estar atenta às mudanças para permitir a formação dos profissionais do futuro, que precisam ter empatia, inteligência emocional, adaptabilidade e capacidade de trabalhar em equipe, entre outras.

 

Antes da pandemia, lembra o autor, as pessoas estavam acostumadas com a correria do dia a dia, com muitas tarefas e, de repente, ficaram longe uma das outras. Apesar das complicações, quem é pai, mãe ou responsável por um estudante pôde acompanhar de perto a aprendizagem de seus filhos e suas filhas. Essa proximidade foi a oportunidade para entender, de fato, como a escola está preparando alunos e alunas para os desafios do futuro e, principalmente, do hoje.

 

O Curso G9 adotará, a partir de 2021, a Geekie One para os alunos do Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Pré-vestibular. A plataforma digital traz uma série de benefícios para o aluno, que pode ter um estudo personalizado de acordo com sua dificuldade; para o professor, que pode planejar suas aulas e exercícios de forma flexível e com conteúdos próprios; e para a família, que recebe relatórios semanais sobre o desempenho dos filhos.

 

CIDADANIA DIGITAL

O segundo encontro ofertado aos pais e educadores foi promovido pela Google Foreducation EdTech, parceira do Curso G9 desde março de 2020. Denominado 1° Encontro Nacional de Cidadania Digital, o evento ao vivo contou com palestras de educadores, médicos e alunos sobre os temas relacionados a essa nova era educacional.

 

O evento nasceu do Programa de Cidadania Digital, que a Foreducation oferece para as escolas parceiras. O objetivo, nesta quinta-feira (22 de outubro), foi discutir os temas mais atuais relacionados ao universo digital na comunidade escolar.

 

Mariana Ochs, jornalista e especialista em Tecnologias na Educação, comandou o painel “Educação Midiática”, que tratou importantes informações sobre como trabalhar a habilidade de ler criticamente com os alunos, e a participação ativa destes no mundo conectado. Um dos temas abordados foi Fake News.

 

O médico Daniel Becker, com mais de 20 anos de experiência, abordou o tema “Crianças conectadas e a saúde”, um assunto frequente em reunião de pais e educadores: a influência do universo digital no bem-estar dos pequenos cidadãos digitais.

 

Já Sue Thotz, manager for Common Sense Education, trabalha fazendo parceria com educadores e pais, ajudando-os a criar uma cultura na qual os alunos usam a tecnologia de maneira significativa, atenciosa e respeitosa. Pesquisadora e educadora, ela administrou um estudo experimental avaliando a eficácia de um currículo de alfabetização baseado em computador.

 

O encontro contou ainda com depoimento dos alunos Valentina Alves, do Colégio Sagrado Coração de Maria (MG); Nathália Schwarzer, Colégio São José (SC); Enzo Minciotti, do Colégio Mater Dei (SP); Mateus Augusto Antunes, do Colégio Perfil (BA); e Elton Vinicius, da Escola Evangélica Betel (AM).

 

O Curso G9 adota as ferramentas do Google for Education. Elas permitem que professores e alunos trabalhem em tempo real em documentos, planilhas, apresentações, sites, mapas, formulários e muitos outros, acessíveis a qualquer computador ou celular. Mais agilidade na organização e comunicação e mais tempo para as coisas criativas e inovadoras.

Leia Mais
...
23 de outubro de 2020

Encontros virtuais debatem tecnologia, educação e saúde

GTEeN e GDroid concluem trabalhos para TBR 2020 virtual

As equipes do Curso G9, GTEeN e GDroid, concluíram com êxito todos os trabalhos exigidos para a etapa regional do Torneio Brasil de Robótica (TBR). Pela primeira vez, a tradicional competição foi realizada por meio de uma plataforma digital. O resultado, com as classificadas para a Fase Nacional, será divulgado durante live pelo YouTube, no próxima dia 31.

 

Para Mateus Francisco Bibiano, professor de Matemática do Curso G9 e um dos tutores das equipes, participar de um torneio virtual “está sendo uma experiência interessante porque exige muita dedicação e organização”. “Tivemos que fazer muitas adaptações, em particular, por utilizar uma simulação com robô virtual e desenvolver ações para arrecadação de fundos, como o bingo e a rifa virtuais”, explicou. O outro tutor da equipe é o também professor de Matemática, Vicente Carlos Martins.

 

“As equipes demonstraram muita seriedade e compromisso e aceitaram o desafio, mostrando muita competência em toda essa trajetória”, completou. A organização de rifas e do bingo virtual a se se referiu são ações colaborativas que entram na avaliação da Organização e Método da equipes, que também são avaliadas em outros dois quesitos: Tecnologia e Engenharia (alunos programam e simulam ações de um robô com auxílio do Open Roberta Lab) e Pesquisa (com embasamento em referenciais e indicações advindas da entrevista com profissionais da área de fitossanidade).

 

TRADIÇÃO G9

As equipes de robótica do Curso G9 têm tradição em competições locais e nacionais, tendo conquistado vários títulos. Em 2019, por exemplo, a GTEeN foi a campeã geral da categoria Middle da Fase Nacional do TBR, título inédito para Itajubá.

 

“Foi uma experiência muito enriquecedora, já que desenvolvemos a habilidade de adaptar toda pressão para apresentação de nossos projetos a uma banca de avaliação virtual. Apesar disso, a emoção e a torcida continuaram a mesma durante os desafios do robô”, disse Vinícius Ferreira dos Santos, da 2ª série do Ensino Médio (Turma M21), da equipe GDroid, sobre o TBR virtual.

 

Para Ana Lívia Franqueira, da mesma turma e equipe, “vivemos uma experiência totalmente nova no final de semana”. “Foi quando mostramos o resultado de meses de trabalho, superando desafios e demonstrando a capacidade de resiliência da equipe. Com certeza, é muito gratificante perceber nossa união em casa ação”, disse.

 

“Desde o início, procuramos dar o nosso melhor nos métodos online e, por fim, conseguimos atingir nossos objetivos. Os torneios presenciais fazem falta, mas creio que devemos aproveitar este período atípico para tirar coisas boas e evoluir”, ressaltou a aluna Marina Carmanhani, do 9º ano do Ensino Fundamental II (Turma F91), integrante da GTEeN.

 

TBR 2020

A GTEeN irá disputar a Categoria Middle 2 do Torneio Brasil de Robótica 2020, voltada aos alunos de 12 a 15 anos, e tem como proposta de pesquisa identificar um problema relacionado à erradicação de pragas e doenças de plantas ou gerenciá-las melhor quando isso não for possível, estudá-lo e propor uma solução inovadora.

 

Já a GDroid disputará a Categoria High, para alunos de 15 a 19 anos, e deve identificar um problema relacionado à proteção de plantas que são a primeira linha de defesa contra pragas e doenças, estudá-lo e propor uma solução inovadora.

 

Leia Mais
...
20 de outubro de 2020

GTEeN e GDroid concluem trabalhos para TBR 2020 virtual

Parceira do Curso G9 conquista prêmio TOP Educação

 

A ZOOM – Education for Life conquistou, pela terceira vez consecutiva, o prêmio TOP Educação, na categoria Educação Tecnológica, concedida pela Revista Educação. O Curso G9 é parceiro da empresa por meio da AME Educacional, representante Lego em várias regiões de Minas Gerais.

 

O TOP Educação é uma pesquisa quantitativa de participação espontânea que tem como objetivo apontar as marcas mais lembradas entre as empresas que atuam na área de educação. “Este é o grande diferencial da premiação: são educadores reconhecendo educadores pelos seus projetos”, disse Leonardo Mendonça, diretor de Marketing ZOOM – Education for Life.

 

“É um orgulho para nós dividir esse sonho com todos os parceiros: o sonho de poder transformar as pessoas, os jovens e as crianças e, com isso, poder ajudar na mudança do mundo”, destacou. A ZOOM – Education for Life está presente em todos os estados brasileiros, em mais de 600 escolas.

 

ROBÓTICA EDUCACIONAL

O Curso G9 usa a metodologia do projeto Lego em seu planejamento pedagógico desde 2011. O projeto é uma parceria entre o Curso G9 e a ZOOM Education For Life, empresa representante da Lego no país.

 

A metodologia aplicada é a de solução de problemas: aprender fazendo, através do uso de livros específicos e de montagem e programação de robôs. O Lego Zoom é um projeto educacional que faz parte da programação curricular de todas as disciplinas, da Educação Infantil ao Ensino Médio.

Leia Mais
...
14 de outubro de 2020

Parceira do Curso G9 conquista prêmio TOP Educação

Atletas representam o Brasil no Pan-americano de Xadrez

Dois atletas do Curso G9 integram a equipe que irá representar o Brasil no Campeonato Pan-americano de Xadrez, que deverá ser realizado em julho, no Uruguai. Os irmãos Enzo de Almeida Ramos e Giovanna Almeida Magalhães conquistaram a classificação ao vencer o Festival Nacional da Criança (Fenac), organizado pela Confederação Brasileira de Xadrez (CBX). Com essa conquista, os alunos do Curso G9 somam cinco títulos nacionais em 2020, um recorde para Itajubá.

 

Enzo de Almeida, aluno do 5º ano do Ensino Fundamental I, foi campeão Categoria Sub 10 Absoluto do Fenac. Mestre nacional pela Confederação Brasileira de Xadrez, ao vencer Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar, ele também foi campeão da Categoria Sub 14 do Campeonato Mineiro de Xadrez Clássico 2020 e lidera a Categoria B do Circuito Mineiro de Xadrez Escolar 2020.

 

Giovana Almeida, de 5 anos, venceu a categoria Sub 08 Feminino do Fenac, destinada aos atletas de até 8 anos. Aluna do Jardim II, Giovanna Almeida foi campeã na categoria Pré-Escolar do Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar 2020, que lhe rendeu o título de Mestre Nacional, a mais nova do Brasil.

 

O outro aluno do Curso G9 campeão nacional em 2020 é André Britto, do 3º ano do Ensino Fundamental I, que venceu em sua categoria no Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar.

 

XADREZ ESCOLAR

“Estou muito feliz e satisfeito com o desempenho dos nossos atletas. Isso, sem dúvida, é fruto do trabalho que está sendo feito, há dez anos, pelo Curso G9”, explicou o professor de Xadrez, Toninho Martins. “É muito bom perceber a formação de uma nova geração de campeões do colégio. A Gigi, com 5 anos, é uma surpresa e uma grande promessa, pois ainda disputará a categoria Sub 08 por mais 3 anos”, completou.

 

Enzo Almeida disse que participar do Pan-americano “é mais um sonho sendo realizado”. “Fiquei muito feliz com o título do Fenac; precisei de muito treino e dedicação para consegui-lo. Agradeço a Deus todos os dias, e sou muito grato ao Curso G9 e ao professor Toninho porque, sem esse apoio, não teria chegado até aqui”, ressaltou.

 

“Esse é o meu segundo título brasileiro. Estou feliz que vou participar do pan-americano e ansiosa para jogar e viajar com meu irmão. Enzo e o professor Toninho me ensinam a ser como eles são”, disse Giovanna Almeida.

 

 

Leia Mais
...
09 de outubro de 2020

Atletas representam o Brasil no Pan-americano de Xadrez

Equipes avançam na Olimpíada Nacional em História do Brasil

Nove equipes do Curso G9 participam da 12ª edição da Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), realizada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A competição conta com 69,8 mil alunos inscritos, de todos os estados brasileiros: atualmente, os grupos estão na terceira fase da competição.

 

“O projeto, que ocorreria no primeiro semestre, foi adiado por causa da pandemia da Covid-19 e adaptado para uma versão totalmente online e mais acessível”, explica a professora de História do Ensino Médio e mentora das equipes do Curso G9, Patrícia Ribeiro de Castro.

 

O Curso G9 tem tradição na ONHB. O colégio participa desde a segunda edição, em 2010, e é a única instituição de Minas Gerais finalista por dez vezes consecutivas, sendo a melhor instituição semifinalista em duas ocasiões. Em 2018, foi a única medalhista do Estado de Minas.

 

ONHB

Os inscritos estão divididos em equipes formadas por um professor de História e três alunos. A competição conta com seis fases e teve início com um total de 17,4 mil grupos inscritos.

 

Do total de equipes do Curso G9, duas são do Ensino Fundamental II e sete do Ensino Médio. Os alunos participantes do Fundamental II são: Mariana Amorim Santos, Pedro Feris, Gabriel Irineu, Marina Carmanhani, João Pedro Vieira, Pietra Mendonça e Ian Fernandes.

 

Já os alunos do Ensino Médio são: Luiza Amorim Prezoto, Vinícius Ferreira dos Santos, Beatriz Floriano, Luiza Bortoni, João Lucas Torres, Gabriel Teixeira Cardoso, Ana Clara Bernardes Guerzoni, Helena Ribeiro, Ana Júlia Alvarenga e Silva, Ana Luísa Duarte da Fonseca, Jade Alam, Yasmin Duarte Rodrigues dos Santos, Luiza da Silva Barbosa, Yasmim Raimundo, Nathan de Souza Aragão das Neves, Livia Pereira, Isabela Curi, Matheus Henrique, Sofia Silva Rossignoli Marques, Gabriela de Almeida Ribeiro.

 

CANGURU

Alunos do Curso G9 conquistaram bronze na olimpíada Canguru de Matemática, uma competição internacional destinada aos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental até os da 3ª série do Ensino Médio. Também se classificaram para 2ª fase da Olimpíada Nacional de Ciências.

 

 

Leia Mais
...
07 de outubro de 2020

Equipes avançam na Olimpíada Nacional em História do Brasil

Pesquisas do Fundamental II são avaliadas por banca da Feira 2020

Alunos do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental II do Curso G9 deram um importante passo para a conclusão dos trabalhos para a Feira do Conhecimento 2020, que tem como tema geral “Saúde Vegetal no Mar e na Terra”. Eles apresentam as pesquisa à Banca de Avaliação, formada por professores, coordenação pedagógica e direção do colégio.

 

Os trabalhos foram apresentados de forma remota, por uma das plataformas da Google for Education, usadas pelo colégio desde o início das aulas remotas. O tema da Feira do Conhecimento do Curso G9 está em consonância com a resolução da ONU (Organização das Nações Unidas), que escolheu 2020 como o Ano Internacional da Fitossanidade.

 

Para a coordenadora pedagógica do segmento, professora Estela Maria de Oliveira, os trabalhos estão muito bons. “O importante desse processo é que os alunos nos contaram o que aprenderam, cada um à sua maneira. Muitos venceram o nervosismo, tão comum nessa idade, em especial, potencializado por nesse ambiente virtual”, explica.

 

A diretora pedagógica do Curso G9, Maria Aparecida Fernandes, lembrou que é a primeira vez que os alunos do 6º ano passam pela banca de avaliação da Feira. “Os trabalhos estão muito bons e mostra que houve esforço e dedicação de todos para pesquisar e aprender, mesmo em um ambiente virtual”, ressalta.

 

Também as turmas do Ensino Médio já apresentaram as pesquisas à Banca de Avaliação, entre os dias 31 de agosto a 3 de setembro.

 

FITOSSANIDADE

“Fizemos várias pesquisas, anotações e, mesmo na pandemia, não paramos de estudar sobre o assunto”, conta a aluna do 8º ano (Turma F81), Maria Eduarda Mota Oliveira. “Desde o começo, ainda em aulas presenciais, fizemos fichas para organizar o trabalho de nossa equipe. Seguimos o método com as aulas virtuais, o que deu muito certo. Agora, os comentários da banca trazem um aprendizado muito grande para nós”, destaca Clara Mouallem, aluna do 8º ano (Turma F82).

 

Para o professor Glauber Luz, os alunos e professores “estão de parabéns pelo trabalho desenvolvido até agora. “As pesquisa estão bem aprofundadas, mas são necessários alguns ajustes técnicos em conceitos e fórmulas, o que é natural neste momento do trabalho”, ressalta ele, que participou da banca dos 8º anos.

 

“Os alunos deram um show de interdisciplinaridade. Mostraram diferentes pontos de vistas diante das hipóteses levantadas. Gostei muito como concluíram, pois deixaram aos ouvintes a decisão sobre o que levar em conta quando decidir sobre sua própria alimentação. Promoveram a conscientização de forma linda”, diz a professora de Ciências do 6º ano, Camila Aparecida dos S. Pereira, que participou da banca das equipes do 9º ano.

 

AULAS REMOTAS

O Curso G9 mantém as atividades pedagógicas, por plataformas digitais, desde o início do necessário isolamento social. Confira o que está sendo feito na Educação Infantil, no Ensino Fundamental I, no Ensino Fundamental II e no Ensino Médio e Pré-vestibular.

 

SUBTEMAS DA FEIRA | ENSINO FUNDAMENTAL II

6º Ano – Turma F61

Plantando com Ciência e Tecnologia: agricultura 4.0

 

6º Ano – Turma F62

O controle biológico: uma estratégia para manutenção da biodiversidade

 

7º Ano – Turma

Biodiversidade do solo brasileiro: manuseio sem prejuízo

 

7º Ano – Turma F72

Fitopatologia: A interferência das doenças das plantas na cadeia alimentar

 

8º Ano – Turmas F81 e F82

Influências das consequências do Aquecimento Global no contexto da Fitossanidade

 

9º Ano – Turma F91

Manipulação genética: O que temos e o que queremos?

 

9º Ano – Turma F92

Evolução cultural e biomas no Brasil: do conhecimento indígena à atualidade, como o homem se relaciona com a flora?

Leia Mais
...
02 de outubro de 2020

Pesquisas do Fundamental II são avaliadas por banca da Feira 2020

Curso G9 participa do Programa Aluno Tutor do Google

Já pensou em um programa no qual o aluno é tutor do professor para sanar suas dificuldades em ferramentas virtuais? Assim é o Programa Aluno Tutor do Google for Education. O programa começou a ser implantado no Curso G9 agora em setembro pela Foreducation EdTech, primeira parceira Google no Brasil, especializada em projetos de integração tecnológica na educação com foco em pessoas. O lançamento foi realizado no último dia 11.

 

“O objetivo é buscar a fluência digital dos alunos, que têm autonomia para experimentar e propor soluções para os problemas e/ou dificuldades que serão apresentados pelos professores”, explica o coordenador do Projeto na Foreducation EdTech, Gabriel Tavares. O programa é voltado para alunos, a partir de 13 anos, do Ensino Fundamental II e Ensino Médio. A primeira turma conta com 18 alunos.

 

Para o diretor de Planejamento do Curso G9, professor Giovanni Henrique Faria Floriano, a atual geração já apresenta uma considerável familiaridade com a tecnologia. “No nosso entender, nada melhor do que usar esse domínio com as ferramentas virtuais para ajudar aqueles que precisam, inclusive os professores”, disse. Ele lembrou que o projeto é mais uma das ações do colégio para a capacitação aos professores, que promove cursos e treinamentos com frequência.

 

Google for Education

Outro programa desenvolvido no Curso G9 é Professor Embaixador Google, no qual o professor selecionado e certificado pela empresa trabalha colaborativamente com seus pares, orientando, esclarecendo dúvidas e motivando o uso de novos recursos, ferramentas e projetos com apoio de tecnologias. O primeiro professor certificado de Itajubá é João Gabriel Cavalcante, da disciplina de Inglês da Educação Infantil.

 

Os dois programas são desenvolvidos em parceria com a Foreducation EdTech, que presta consultoria ao Curso G9 na implantação das ferramentas da plataforma Google for Education, usada pelo colégio desde abril deste ano.

 

As ferramentas permitem que professores e alunos trabalhem em tempo real em documentos, planilhas, apresentações, sites, mapas, formulários e muitos outros, acessível de qualquer computador ou celular. Mais agilidade na organização e comunicação e mais tempo para as coisas criativas e inovadoras.

 

Aluno Tutor Google

De acordo com Gabriel Tavares, o Aluno Tutor do Google for Education conta com três etapas: na primeira, o Início, cada aluno terá que “adotar” dois professores que encontram dificuldades ao manusear as ferramentas da plataforma; ele deverá explicar que está participando do programa para ajudá-lo a vencer esses desafios. Há formulário e tutorial sobre isso. Quais ferramentas em que o professor tem dificuldade.

 

Na segunda etapa, chamada “O Meio – Mão na Massa”, o aluno deverá criar no mínimo dois materiais de apoio para cada professor, sempre tendo como foco a solução dos problemas apresentados; a ideia é que o tutor priorize materiais para ferramentas que eles usem no dia a dia escolar. Por fim, na última etapa – “O fim que é um novo começo: Impactando a Comunidade Local ou Escolar”, o aluno já concluiu o trabalho com os professores e, agora, precisa elaborar um projeto que impacte positivamente a escola ou a comunidade no seu entorno.

 

“Sem dúvida, a última etapa é a mais trabalhosa e precisa ser aprovada por nós e pela direção do Curso G9 para ser implantada”, disse Gabriel Tavares. O trabalho pode ser feito em grupo ou individualmente, em um prazo de até 90 dias, sempre com apoio e supervisão da Foreducation EdTech. “Esse é um prazo sugerido, mas há casos em que os alunos cumprem, com sucesso, todas as etapas em um tempo menor. Mas não há nenhum problema caso alguém precisa de um pouco mais de tempo: tudo é conversado durante o processo”, concluiu.

 

Primeira Turma

Os alunos tutores do Ensino Médio são: Ana Luísa Duarte da Fonseca (Turma M11), Ana Lívia Santos Franqueira (M22), Lívia Castilho Pereira       (M12), Rafael Monti Benac (M22), Rafael Neves de Moraes Castro (M11), Vinicius Ferreira dos Santos (M21) e Vinicius Souza dos Santos (M12).

 

No Ensino Fundamental II, participam os alunos: Aline Ramos de Souza (Turma F92), Caio Christopher Fernandes Ribeiro (F92), Fabiano da Silva Oliveira Junior (F91), Enzo Oliveira Avanci (F91), Mateus Faria Lopes (F81), Ian Fernandes de Lina e Silva (F82), Clara Moreira El Mouallem (F82), Clara Mouallem de Assis (F82), Pietra Vidal Mendonça (F82), Marcos Renato Gonçalves Dias (F71) e Pedro Ferreira Cardozo (F71).

 

Aulas Remotas

O Curso G9 mantém as atividades pedagógicas, por plataformas digitais, desde o início da quarentena. Confira o que está sendo feito na Educação Infantil, no Ensino Fundamental I, no Ensino Fundamental II e no Ensino Médio e Pré-vestibular.

Leia Mais
...
21 de setembro de 2020

Curso G9 participa do Programa Aluno Tutor do Google

TOPO