Loader Image

NOTÍCIAS

Turmas do 5º ano na reta final para a Feira 2019

Palestra com geólogo e oficina com engenheiro eletricista marcaram a reta final para a Feira do Conhecimento do Curso G9 dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I. As atividades aconteceram nos meses de agosto e setembro e uniram a curiosidade com o conhecimento adquirido. 

O tema da Feira é 150 anos da Tabela Periódica – “O Mapa da Química” e o subtema das turmas do 5º ano: “Por que o cobre é o metal mais utilizado na condução de energia elétrica?”. Foram várias pesquisas feitas em sala de aula e em casa que despertaram nos alunos vários questionamentos e indagações sobre o cobre, sua extração e sua utilização. 

Para sanar as dúvidas, o geólogo Ricardo Re  foi convidado para ministrar uma palestra sobre os minerais e sobre a geologia, a qual ampliou o conhecimento das crianças. Durante a palestra, Ricardo contou como é o processo de mineração do cobre e de outros materiais, além de mostrar aos alunos como funciona o estudo da geologia e a profissão do geólogo. 

“Esse tipo de atividade é interessante, porque além de todo o aprendizado que os alunos adquirem, eles começam a ver que existem outras profissões, além das tradicionais, como médico e engenheiro”, contou Ricardo.

Sobre o Cobre

Estudando sobre o cobre, os alunos do 5º ano descobriram que é muito utilizado em circuitos elétricos, devido à alta condutividade e o ótimo custo benefício desse elemento químico. Após as pesquisas, foi proposto aos alunos criarem uma maquete de algum ambiente que utilize circuitos elétricos e que acenda luzes de LED. Para ajuda-los, o engenheiro eletricista João Guilherme foi à sala de aula ensinar como criar seu próprio circuito elétrico. Com o conhecimento adquirido, cada aluno construiu seu projeto, utilizando o circuito elétrico construído em sala de aula.  Essa atividade estará exposta na Feira nos dias 13 e 14 de setembro. 

“É muito legal fazer esse trabalho, porque a gente aprende como fazer um circuito elétrico, como é conduzir eletricidade de forma divertida”, disse a aluna Sofia Fortes Souza (Turma F51), que estava empolgada com o trabalho da Feira. 

A aluna Gabriela Camila Rennó Campos (Turma F52) também ficou animada com o projeto: “Eu achei muito legal, foi bem divertido montar um circuito elétrico. Aprendi que o cobre é muito bom para a eletricidade e ele não é tão caro”, contou. 

Com todas as maquetes montadas, os alunos fizeram uma apresentação em sala para seus colegas, mostrando como cada trabalho tinha ficado. Essa atividade aconteceu na tarde do dia 02 de setembro e reuniu os alunos das duas turmas, que puderam prestigiar e conhecer o trabalho dos colegas.

Fonte: Agência Contexto

Leia Mais
...
24 de setembro de 2019

Turmas do 5º ano na reta final para a Feira 2019

Educação Infantil realiza experimento de vulcão

Experiências químicas, trabalho em equipe e muita diversão marcam os trabalhos da Feira do Conhecimento 2019 da Educação Infantil. 

O tema da Feira é os 150 anos da Tabela Periódica – “O Mapa da Química”. O subtema das turmas do Maternal é “Elementos na diversão”. Os alunos fizeram diversos experimentos em sala de aula e em casa para ver como a química está presente no nosso dia a dia. As turmas do Jardim trabalharam com o subtema “Elementos Químicos na alimentação” e descobriram os mais diversos elementos presentes nos alimentos que consumimos diariamente. 

Projeto Vulcão

O projeto do Vulcão veio para integrar todas as turmas da Educação Infantil, de forma que eles realizassem um trabalho unificado. Essa atividade conseguiu englobar os dois temas trabalhados, pois uniu os experimentos químicos das turmas do Maternal com os elementos químicos vistos, na cozinha de casa, pelos alunos do Jardim. A atividade foi dividida em três partes: a montagem da maquete, a pintura e o experimento químico da erupção do vulcão, utilizando bicarbonato de sódio e vinagre. 

Além de ser um trabalho para Feira, esse projeto contou com a participação de todas as professoras regentes, das assistentes do segmento e dos professores de inglês Marco Antonio Gomes Carneiro e Ildefonso da Silva Lemes Neto, responsáveis pelas aulas de Inglês da Educação Infantil no Programa Bright Futures. 

“Esse tipo de projeto é interessante porque os alunos, além de aprenderem um vocabulário de inglês, têm uma vivência nova, aprendem a ajudar os colegas, a compartilhar e a trabalhar com crianças de outras idades”, contou o professor Marco Antonio, que acompanhou os alunos durante o projeto. “Essa atividade trabalhou desde aspectos pedagógicos até experimentos químicos, e isso tudo conversando em inglês”, concluiu.

Leia Mais
...
24 de setembro de 2019

Educação Infantil realiza experimento de vulcão

Ensino Médio faz Oficina de Sabão e Sabonete

Alunos da 1ª série do Ensino Médio do Curso G9 deram continuidade à Oficina de Sabão/ Sabonete, que havia começado no semestre passado. A atividade faz parte do projeto interdisciplinar de Ciências Naturais e tem como tema principal a Sustentabilidade. A segunda etapa dessa atividade aconteceu em 5 de setembro, no Laboratório de Ciências do colégio. 

“Com esse tipo de projeto, os alunos percebem a questão do dimensionamento, de planejar uma atividade futura. Eles entendem todo o processo que devem seguir para conseguir a produção”, disse o professor de Química do G9, Glauber Luz. “Além disso, aprendem sobre a questão do mercado consumidor, pois um dos produtos tem um foco maior na venda, então tem que chamar a atenção esteticamente e o outro tem um foco na usabilidade, então deve render mais e ser mais durável”, explicou. 

Para o professor, “o mais importante é que os alunos veem como a química se aplica na produção artesanal e que também pode despertar vocações tanto na área de química quanto na área de planejamento e administração”, disse. 

Oficina

No primeiro semestre de 2019, os alunos foram ao Laboratório de Química da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) para aprender como fazer sabão utilizando óleo, soda cáustica e outros elementos químicos. 

Depois de aprenderem como fazer o sabonete, decidiram pela produção em larga escala para venderem o produto no Bazar Solidário – todo o recurso será aplicado no Projeto Natal Solidário, que acontece no final do ano.

Fonte: Agência Contexto 

Leia Mais
...
24 de setembro de 2019

Ensino Médio faz Oficina de Sabão e Sabonete

Simulação do Conselho de Segurança da ONU

Debates, política de aliança e muita pesquisa marcaram a Simulação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) dos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II do Curso G9. A atividade, realizada em 6 de setembro, integra o trabalho interdisciplinar de Geografia, Espanhol, Inglês e Português. 

“O objetivo dessa atividade é que os alunos tenham a capacidade de argumentar, discutir e chegar a alguma conclusão de consenso”, explicou a professora de Geografia, Marília Gil de Souza, idealizadora do projeto.  “Outro fator é que, com essa atividade, eles ficam atentos aos problemas enfrentados por outros países, como é o caso da Venezuela”, completou. 

A Simulação do Conselho de Segurança da ONU é uma atividade que acontece anualmente no Curso G9, com os mais variados temas. Este ano, o escolhido foi a Questão da Venezuela. Para realizar o projeto, os alunos são divididos entre os diversos países que compõe o Conselho de Segurança da ONU. Cada grupo precisa estudar o posicionamento de seu país sobre a questão, ler notícias na mídia e pesquisar sobre o tema em livros. 

A atividade começou no segundo bimestre, nas aulas de Geografia, quando os alunos começaram a pesquisar sobre o país vizinho. Além das pesquisas, tiveram aula sobre a crise que esse país vive e, como forma de enriquecer ainda mais ainda o projeto, foi realizado um Seminário sobre a Crise na Venezuela, ministrado pelo venezuelano Alexander Albarrán. 

Conselho de Segurança

Durante a Simulação deste ano, cada aluno defendeu o ponto de vista de seu país, apresentando dados para defender sua argumentação. Além disso, como parte da atividade, cada aluno teve que escrever um “Documento de Posição Oficial”, seguindo algumas regras específicas que demonstrasse qual o posicionamento de cada país. 

Após os argumentos apresentados, os alunos propuseram soluções para ajudar a Venezuela e seu povo. As ideias que apareceram foram desde o envio de ajuda humanitária, até uma possível intervenção militar no país. Ao final da simulação houve uma votação para decidir qual proposta era a mais válida para solucionar o problema. 

Como cada turma realizou o trabalho de forma independente: houve dois resultados para as mais diversas propostas levantadas. A Turma F92 concordou em votação que o envio de ajuda humanitária é a melhor solução para a atual tensão política vivida no país. Já a Turma F91 não chegou a nenhum acordo, pois em nenhuma proposta apresentada os alunos conseguiram a maioria dos votos.

Leia Mais
...
24 de setembro de 2019

Simulação do Conselho de Segurança da ONU

TOPO